Trump recebe críticas após ação contra protestos em Washington

O presidente dos EUA, Donald Trump, recebeu uma coletânea de críticas após os episódios da tarde de segunda-feira (1) em Washington, quando ele coordenou uma ação policial para acabar com os protestos contra o racismo nas proximidades da Casa Branca para que pudesse sair e fazer uma foto em frente a uma igreja.

A atitude, tomada logo após o presidente anunciar que enviaria o Exército para combater as manifestações, é considerada provocadora, num momento em que o país está convulsionado pelas tensões raciais e sofre com a pandemia de covid-19. A ação policial para garantir uma foto em pose confiante nas ruas vazias foi considerada uma jogada mais eleitoral que de pacificação e até mesmo analistas políticos simpáticos ao governo republicano criticaram a operação.

O principal comentarista político da rede de TV Fox News, Tucker Carlson, disse que Trump “abandonou o país” e está pensando apenas nele. O comentário foi feito logo após as imagens de presidente saindo da Casa Branca ladeado por militares e outras autoridades muito próximas a ele, depois de uma multidão que carregava cartazes pacificamente ter sido dispersada com bombas, spray de pimenta e tiros de bala de borracha.

Ao sair, Trump posou para fotos em frente à Igreja de St. John, histórica na capital dos EUA. O prédio tinha sido danificado durante os protestos em dias anteriores, com pichações e um pequeno incêndio.

Mariann Edgar Budde, responsável pela Diocese Episcopal de Washington, da qual a igreja faz parte, disse se sentir “ultrajada” pelo fato de Trump não ter ido à igreja rezar diante do grave momento vivido pelo país. “Nós estamos ao lado do que pedem justiça para George Floyd e de muitos outros”, disse Mariann.

O presidenciável democrata, Joe Biden, se pronunciou nesta terça-feira, dizendo que Trump age “para responder às paixões dos seus seguidores do que às necessidades das pessoas”.

Deixe comentário

× Fale com a Showtime