Taxa do cheque especial sobe e a do crédito pessoal fica estável

A taxa média do cheque especial em fevereiro é de 7,96% ao mês, uma variação positiva de 0,63% em relação a janeiro, quando atingiu 7,91% ao mês. Já a os juros do empréstimo pessoal se manteve estável a 6,08% ao mês.

Os dados são de uma pesquisa mensal divulgada pela Fundação Procon-SP nesta segunda-feira (8) e foram coletados em 2 de fevereiro.

Foram analisadas as taxas aplicadas por seis instituições:

• BB (Banco do Brasil);
• Bradesco;
• Caixa (Caixa Econômica Federal);
• Itaú;
• Safra; e
• Santander.

Cheque Especial
A taxa média dos bancos pesquisados foi de 7,96% ao mês, ou seja, um acréscimo de 0,05 ponto percentual em relação à taxa média referente ao mês anterior, que foi de 7,91%, representando uma variação positiva de 0,63%.

No ano, a taxa equivale a 149,36%.

O Itaú foi o único banco que alterou a sua taxa na modalidade.

Na instituição, o juro passou de 7,74% para 8%, o que significa um acréscimo de 0,26 ponto percentual, representando uma variação positiva de 3,36% em relação à taxa praticada no mês anterior.

As demais instituições financeiras mantiveram suas taxas.

Bradesco, Caixa, Safra e Santander têm a maior taxa do cheque especial: 8%. A menor, de 7,73%, é do Banco do Brasil.

Empréstimo Pessoal

A taxa média dos bancos pesquisados na modalidade do empréstimo pessoal se manteve estável em fevereiro: 6,08% ao mês. No ano, o percentual é de 103,05%.

De acordo com a pesquisa do Procon-SP, nenhuma instituição financeira alterou sua taxa de empréstimo pessoal até a data da pesquisa.

A maior taxa no empréstimo pessoal é cobrada pelo Santander: 7,89%.

Na sequência, aparece Bradesco (7,16%), Itaú (5,91%), Safra (5,90%) e Caixa (3,89).

Deixe comentário

× Fale com a Showtime