Taxa de leitos na RMVale é inferior ao que orienta a OMS, revela Seade

O Vale do Paraíba tem número de leitos de internação abaixo do que preconiza a OMS (Organização Mundial da Saúde), o que pode comprometer gravemente a capacidade da região em atender os casos graves do novo coronavírus, que exigem internação dos pacientes.

De acordo com a Fundação Seade, a região conta com 1,82 leito de internação para cada grupo de mil habitantes, índice considerado insuficiente. A taxa que é preconizada pela OMS é de 3 a 5 leitos por cada mil habitantes.

No caso dos leitos de internação atendidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde), da rede pública de saúde, a situação é ainda pior.

O coeficiente de leitos do SUS para internação no Vale é de 1,04 leito para cada grupo de mil habitantes. Os dados referem-se a 2019.

HISTÓRICO.

Os números do Seade mostram que a região perdeu leitos do SUS nos últimos 10 anos, o que prejudica o atendimento da rede pública.

Em 2008, o Vale tinha 2.792 leitos para internação no SUS, número que caiu para 2.567 em 2019, uma perda de 225 leitos ou 8% de retração.

No mesmo período, o coeficiente de leitos do SUS para cada mil habitantes caiu de 1,26 (2008) para 1,04 (2019), queda de 17%.

No geral, o total de leitos de internação cresceu na região em 10 anos, de 4.312 para 4.501 (4%), mas isso se deve ao crescimento da rede privada, que passou de 1.520 leitos de internação em 2008 para 1.934 no ano passado, um aumento de 27%. Entre as cidades com mais casos de coronavírus no Vale, São José tem a melhor condição, com 1,17 leito de internação do SUS para cada 1.000 habitantes.

Por mais leitos de internação, gestão Doria estuda abrir hospitais de campanha

O governo estadual estuda a possibilidade de montar hospitais de campanha em grandes cidades do interior, como São José dos Campos e Taubaté, para atender pacientes com coronavírus. A medida já foi tomada em São Paulo.

“Vamos pegar as cidades maiores e ver a possibilidade de centros de referência para o coronavírus, atingindo os municípios sedes e outros ao entorno. E há a possibilidade de hospitais de campanha”, disse Marcos Vinholi, secretário estadual de Desenvolvimento Regional.

Em Jacareí, o prefeito Izaias Santana (PSDB) anunciou a abertura de um hospital de campanha no município, com 60 leitos para atender casos menos graves da doença. A nova unidade será instalada no Jardim Flórida (região oeste).

Estado defende medidas de contenção para evitar colapso

O governo estadual aposta na manutenção, e eventual aumento, das medidas de restrição para “achatar” a curva de crescimento dos casos de coronavírus, o que evitaria um colapso do sistema público de saúde. As medidas são consideradas as mais eficazes para diminuir a disseminação do vírus. Nesta segunda-feira (30), o governo lançou nova campanha que usa o mote “Fique em casa” para reforçar as restrições à circulação e aglomeração de pessoas. Em tom emocional, o vídeo da campanha diz: “Siga o que dizem os especialistas em saúde: fique em casa.”

Deixe comentário

× Fale com a Showtime