SP usa campanha da H1N1 para explicar início da vacinação da covid

O vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, usou o exemplo das campanhas anteriores contra a H1N1 para justificar o início da vacinação contra a covid-19, no último domingo (17), na capital paulista.

Ontem, após a aprovação de uso emergencial pela Anvisa, uma enfermeira do Hospital das Clínicas foi a primeira imunizada contra a doença provocada pelo coronavírus em território nacional. João Doria estava presente ao ato simbólico.

Em evento com governadores e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, na manhã desta segunda-feira (18) no aeroporto de Guarulhos, onde estão armazenadas as doses da CoronaVac, Garcia disse que é um procedimento normal dentro de uma pandemia.

“Convido a imprensa a olhar a vacinação da H1N1 de 2020, de 2019, de 2018, de 2017. Pela produção ser em São Paulo, não precisa especialista em logística para saber que não precisa enviar e receber de novo [de Brasília]. Estamos numa pandemia e é necessário começar o quanto antes”, argumentou.

SÃO PAULO
SP tem oito regiões na fase laranja e uma na vermelha a partir de hoje
Garcia alertou que é “importante a sociedade entender que existem poucas doses” e afirmou que, agora, é necessário “aguardar outras alternativas de vacina para alcançar mais pessoas”.

João Doria não esteve no evento desta manhã, com vários governadores, em Guarulhos (SP). Questionado sobre o motivo da ausência, o vice-governador afirmou que “a vacinação já se iniciou [ontem] e ele tem outros compromissos. Eu vim representá-lo”.

Deixe comentário

× Fale com a Showtime