São José e Taubaté têm 48% de isolamento; Doria diz que patamar é ‘sinal de alerta’ e pode impedir flexibilização

Taxa de isolamento em 48% é ‘sinal de alerta’ e sem a ‘menor condição de flexibilização’, como apontou o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), em entrevista coletiva nesta quarta-feira, do Palácio dos Bandeirantes. O estado e as duas maiores cidades do Vale registraram 48% de isolamento nesta terça-feira (28).

Segundo ele, se o índice permanecer baixo não haverá flexibilização da quarentena a partir de 11 de maio.

“Numa taxa de 48% de isolamento não há a menor condição de flexibilização de isolamento, com os riscos de colapso no atendimento público. Temos que orientar e pedir às pessoas que, se querem sair do isolamento, colaborem e contribuam para isso, e fiquem em casa”.

“Nada será feito em São Paulo e mesmo fora da capital sem a prévia e expressa recomendação da área da saúde. Se a saúde recomendar novas medidas [mais restritivas], não hesitaremos em adotar.”

O recado vale para São José dos Campos e Taubaté, que registraram novamente 48% de taxa de isolamento, a mesma do estado.

“Precisamos elevar a taxa de 48% do estado para dentro da faixa perto de 60%, senão esses números [da Covid-19] irão crescer numa velocidade maior. Não podemos deixar de enfatizar o ‘fique em casa’ e o ‘use máscara’. A sua máscara me protege e a minha protege a você”, afirmou o secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann.

Segundo o governo estadual, a pandemia está entrando em sua “fase mais dura e mais difícil” em São Paulo e no país.

“Esse alerta foi feito pela saúde várias vezes. Não estamos nessa pandemia enfrentando ‘gripezinha’, mas um vírus que mata e que para o qual não há medicamento ou vacina. É ficar em casa e obedecer ao isolamento”, disse Doria.

SÃO JOSÉ E TAUBATÉ

São José caiu de 59% (domingo) para 48% (segunda) e manteve o nível baixo nesta terça. No mesmo período, Taubaté passou de 58% para 49% e caiu para 48%. Jacareí caiu de 62% para 50% e subiu para 51%.

Desde a última quarta-feira (22), São José não consegue passar de 48% de isolamento nos dias úteis, índice que fica entre 50% e 60% nos finais de semana.

Caso a taxa permaneça abaixo de 50% durante a semana, o governo pode rever a proposta de flexibilizar a quarentena a partir de 11 de maio. Cidades que não atingirem o patamar mínimo poderão ter o retorno mais lento. O isolamento social é considerado a melhor medida para conter a disseminação da Covid-19.

A queda do distanciamento em São José coincide com o anúncio de ‘isolamento seletivo’ feito pelo prefeito Felicio Ramuth (PSDB), em 17 de abril.

O decreto municipal permitiria a reabertura do comércio nesta semana, mas foi suspenso pela Justiça. O governo Felicio está recorrendo da decisão.

LIDERANÇA

Mesmo com São José e Taubaté patinando, a região segue líder do ranking estadual do isolamento, com quatro cidades no topo: São Sebastião (64%), Ubatuba (62%), Lorena (61%) e Cruzeiro (59%). Os índices são considerados adequados para conter o coronavírus. O ideal é 70%.

Do total de 20 cidades paulistas com o melhor distanciamento, sete estão na região. Além das quatro primeiras, a região tem Caraguatatuba (56%), Caçapava (56%) e Pindamonhangaba (54%) no ‘Top 20’. Guaratinguetá tem 52% e está fora desse grupo.

No total, 11 cidades do Vale estão no ranking estadual, que traz 104 municípios com mais de 70 mil habitantes.

O Simi (Sistema de Monitoramento Inteligente) do governo de São Paulo analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social. A taxa é divulgada diariamente.

Deixe comentário

× Fale com a Showtime