RMVale tem o mais baixo índice de mortalidade infantil da sua história – Showtime Rádio
Av. Dr. João Guilhermino, 261 - 2º Andar - CJ.23
Metropolitan Offices - S.J. dos Campos/SP
WhatsApp: (12) 99717-3209
Email:ouvinte@showtimeradio.com.br
MÚSICA DE QUALIDADE E JORNALISMO
COM RESPONSABILIDADE!
Telefones
(12)3936-4040
(12)3307-5689
(12)3923-3610
(12)3207-6238
(12)3307-5675

Em 10 anos, a taxa de mortalidade infantil caiu 28% no Vale, que se tornou a segunda região entre as 16 do estado com a maior redução do indicador

RMVale tem o mais baixo índice de mortalidade infantil da sua história

Com 9,63 mortes de crianças menores de um ano por mil nascidas vivas, a Região Metropolitana do Vale do Paraíba atingiu, em 2018, a menor taxa de mortalidade infantil da história, segundo dados da Fundação Seade.

Em 10 anos, a taxa caiu 28% na região: 13,35 em 2008 para 9,63 em 2018, colocando o Vale na segunda posição entre as 16 regiões do estado que mais derrubaram a mortalidade infantil.

O Vale perde apenas para São José do Rio Preto, que reduziu a taxa em 29%.

A região também está abaixo da taxa de mortalidade infantil do estado, de 10,7 mortes para cada mil nascidos vivos em 2018. A redução do índice estadual em 10 anos foi de 15%.

A série histórica da Fundação Seade começa em 1980, quando a taxa de mortalidade infantil do Vale era 45,52 por mil nascidos vivos, a mais alta da história. Comparada à de 2018, a queda foi de 79%.

O recorde da região havia sido batido em 2016, com uma taxa de 10,23.

No ano seguinte, a mortalidade infantil aumentou no Vale para 11,07, em 2017, para depois cair a 9,63 em 2018 –13% a menos do que no ano anterior.

A RMVale é a quarta das 16 regiões do estado com a menor taxa de mortalidade infantil de São Paulo. Apenas as regiões de São José do Rio Preto (8,83), Campinas (8,62) e Ribeirão Preto (8,71) têm taxa menor do que a do Vale.

“Diminuir a mortalidade infantil é um trabalho que não para e vem sendo feito com grande empenho pelas cidades da região”, disse Maristela Siqueira, ex-diretora do DRS (Departamento Regional de Saúde), com sede em Taubaté.

“A qualificação do pré-natal e os cuidados com o recém-nascido foram fundamentais para derrubar esse indicador, o mais importante da saúde, ao lado da saúde da mulher”.

No Vale, 16 cidades têm taxa acima da média da região; 14 reduziram abaixo

Entre as 39 cidades da RMVale, 16 têm taxa de mortalidade infantil acima da média da região, de 9,63 em 2018, segundo o Seade. Esses municípios abrigam 62% da população da região, com 1,55 milhão de habitantes.

Entre eles está São José dos Campos, cuja taxa é de 10,71 mortes de crianças abaixo de 1 ano para cada grupo de mil nascidas vivas. Outras são Taubaté (10,13), Pindamonhangaba (10,85) e Caraguatatuba (10,34). A maior taxa do Vale é a de Arapeí, com 52,63.

Outros 14 municípios têm taxa de mortalidade abaixo da média da região, como Campos do Jordão (9,26), Guaratinguetá (9,13), Jacareí (7,77) e São Sebastião (6,28). A menor taxa da região é a de Aparecida (4,6).

Em nove cidades da região a Fundação Seade não tem dados da taxa de mortalidade, como Areias, Monteiro Lobato e São Luiz do Paraitinga. Esses municípios abrigam 2,45% da população do Vale

DEIXE COMENTÁRIO