Por efeitos da pandemia, Disney anuncia demissão de 28.000 funcionários

A Disney anunciou nessa 3ª feira (29.set.2020) que vai cortar 28.000 postos de trabalho. As demissões afetam os funcionários dos parques de diversões, cruzeiros e hotéis. Em comunicado, a empresa explica que a decisão foi tomada “à luz do impacto prolongado da covid-19″ nos negócios.

A companhia registrou prejuízo de US$ 4,72 bilhões no 2º trimestre de 2020. Foi o 1º período de resultado negativo em quase 20 anos. Os parques foram fechados em março, com expectativa de reabrirem em julho. Entretanto, a Califórnia, onde 1 dos parques está localizado, apertou as medidas de restrição por causa do aumento do número de casos de contaminação pelo novo coronavírus.

A Disneyland, parque da Califórnia, é o único que ainda não retomou as atividades. O Walt Disney World, em Orlando, reabriu em julho com capacidade reduzida. Os parques de Japão, China e França também estão abertos para 1 número limitado de visitantes.

“Estamos conversando com os colaboradores impactados e também com os sindicatos sobre os próximos passos”, falou Josh D’amaro, presidente da Disney Parks, Experiences and Products, divisão responsável pelos parques, cruzeiros e outras atrações de lazer da Disney.

Segundo ele, 67% dos 28.000 funcionários demitidos trabalhavam em meio período. Os funcionários estão desde abril em licença não remunerada, recebendo apenas 1 seguro de saúde.

D’amaro citou como fator decisivo para as demissões a incerteza em relação à duração da pandemia, “exacerbada na Califórnia pela relutância do Estado em suspender as restrições que permitiriam a reabertura da Disneyland”.

“Nos últimos meses, fomos forçados a fazer uma série de ajustes necessários em nosso negócio e, por mais difícil que seja essa decisão, acreditamos que as medidas que estamos tomando nos permitirão emergir de uma operação mais eficaz e eficiente quando voltamos ao normal”, diz D’Amaro

Deixe comentário

× Fale com a Showtime