Pedágios de SP terão reajuste em julho e mais caro será de R$ 30,20

As tarifas de pedágios das rodovias do estado de São Paulo ficarão mais caras com reajuste entre 1º de julho e 6 de julho. Assim, o aumento mínimo feito para os trechos de concessão rodoviária será de 8,05%.

Dessa forma, o reajuste será feito pela correção da inflação por meio do IPCA entre junho de 2020 e maio de 2021. Mas alguns trechos terão aumento maior.

Segundo a Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), o lote 27 do Programa de Concessão terá aumento dos pedágios de 8,67%. Por outro lado, o lote 28 terá aumento percentual ainda maior, de 24,47%.

Pedágio mais caro

São Paulo tem os preços de pedágios mais altos do país. Também por isso, o sistema Anchieta-Imigrantes tem o pedágio mais caro em valores absolutos. Assim, o motorista vai pagar R$ 30,20 para ir da capital paulista ao litoral. Atualmente, o pedágio é de R$ 28 nas rodovias que compõem o sistema.

Entre outras, Autoban, Ecovias, Intervias, ViaOeste, Tamoios, RodoAnel, Rodovias do Tietê e Ecopistas estão entre as rodovias que vão aumentar valores. Todas fazem parte do sistema de concessão estadual, que teve reajuste de tarifas autorizado a partir de 1º de julho.

Em 2020, por conta da pandemia de covid-19, os reajustes tarifários foram adiados por cinco meses, tendo os valores sido alterados somente a partir de 1º de dezembro de 2020. Por se tratar de serviço essencial, nenhuma obra foi paralisada pelas concessionárias no período de quarentena, bem como foram mantidas todas as atividades operacionais, manutenção, atendimento ao usuário e prestação de socorro.

O cálculo das tarifas de pedágio é feito utilizando-se o conceito de tarifa quilométrica, ou seja, corresponde a um valor fixo por quilômetro multiplicado pelo trecho de cobertura da praça – e que varia em função da categoria das rodovias e dos tipos de veículos.​

Deixe comentário

× Fale com a Showtime