Números da Covid seguem oscilando no Vale, com altas e quedas sucessivas

A pandemia do novo coronavírus mantém as oscilações em seus principais indicadores no Vale do Paraíba, ainda não entrando em uma trajetória consistente de queda. O cenário é de estabilização com redução do ritmo de contágio, entremeada com períodos de maior aumento em casos e mortes.

A semana encerrada na quinta-feira (1º) marcou redução de 6,5% no número de novos casos confirmados de Covid-19, com 2.452, o menor número para o mesmo período desde a semana terminada em 16 de julho.

Foi a segunda semana consecutiva com queda nos casos, que reduziram 33,5% no período de sete dias encerrado em 24 de setembro, depois de alta de 49% na semana anterior.

As mortes também caíram no último período, com 37 novos óbitos em sete dias, que representam a menor quantidade de mortes em uma semana desde 18 de junho.

No entanto, a quantidade de novos casos diários voltou a subir no primeiro dia de outubro, com 470 diagnósticos positivos em 24 horas, acima dos 324 do dia anterior, além de mais quatro mortes.

A média de setembro foi de 441 casos e nove mortes diárias e a de agosto, de 499 contaminados e 13 óbitos por dia. Comparando um mês com o outro, houve queda de 11,5% na média diária de casos e redução de 35% na de mortes.

De acordo com a opinião de especialistas, os números em oscilação como os do Vale indicam picos de contágio entremeados a períodos de maior cuidado com os protocolos de saúde, como distanciamento social, uso de máscara e higienização das mãos.

“Todos os 645 municípios do estado têm casos de coronavírus. Dentro disso, várias cidades pequenas com números crescentes de casos e isso demanda uma atenção importante porque essas cidades não têm leito de UTI, elas utilizam leitos regionais”, disse Marco Vinholi, estadual de Desenvolvimento Regional. “Então é importante que a gente tenha disponibilidade dos leitos regionais para os municípios com uma menor população também”, disse.

O Vale segue na fase amarela do Plano São Paulo desde 7 de agosto. Nesta sexta-feira (2), após coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, nenhuma região paulista foi rebaixada de fase. “Temos 100% dos municípios do estado na fase amarela. Também tivemos a menor taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva, com 44% no estado. Tivemos queda nos óbitos e nos casos, a despeito de estarmos testando muito mais”, afirmou o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn..

Deixe comentário

× Fale com a Showtime