Nova York vê estabilização após 3 dias sem aumento de mortes

As autoridades de Nova York, epicentro mundial da pandemia de covid-19, lançaram neste sábado (11) uma mensagem de esperança ao anunciar uma estabilização no número de mortes por coronavírus no estado e um declínio nas internações e das intubações hospitalares.

“A boa notícia é que o número de mortes está se estabilizando”, disse o governador de Nova York, Andrew Cuomo, nos segundos iniciais de sua entrevista coletiva diária, na qual observou ainda que “todos os números estão diminuindo”.

Ele anunciou, no entanto, que o número total de mortes no estado de Nova York atingiu 8.627, um aumento de 783 em relação ao dia anterior. Mas Cuomo enfatizou que, na quinta-feira, foram 777 óbitos e na quarta-feira, 799, refletindo que “a curva está achatando. ”

‘Fim do princípio’, disse governador de NY
Cuomo admitiu que os números registrados no estado são “horríveis” e estão causando “dores e perdas incríveis”, mas usou uma frase do primeiro-ministro britânico durante a Segunda Guerra Mundial, um de seus “heróis”, para explicar que você começa a ver a luz no fim do túnel.

“Não estamos no fim. Nem estamos no começo do fim. Mas, talvez, estamos no fim do começo”, disse a principal autoridade do estado, citando Winston Churchill.

No total, o estado de Nova York tinha mais de 181.000 infecções até este sábado, mais do que qualquer outro país fora dos Estados Unidos, e mais de 8.600 mortes. Deste total, 94.000 casos e 6.367 mortes correspondem apenas à cidade de Nova York, considerado o epicentro da epidemia do país e do mundo.

Asilos e casas de repouso
Das 8.600 mortes, uma parte substancial, mais de 2.000, ocorreram em casas de repouso na região, algumas das quais foram tão afetadas que tiveram que converter seus quartos em necrotérios temporários. É o caso do Crown Heights Center, no coração do Brooklyn, onde pelo menos 15 idosos morreram.

No estado vizinho de Nova Jersey, onde em uma residência eles perderam a vida 19 pessoas, enquanto dos outros 54 residentes, 44 estão doentes, segundo dados do New York Times.

Além disso, Nova Jersey enviou 40 médicos de combate da Guarda Nacional a um centro de veteranos localizado na cidade de Paramus após 13 mortes.

Deixe comentário

× Fale com a Showtime