Governo tenta reverter decisão que retirou Brasil de cúpula do clima

O Brasil ficou de fora da lista de países que participarão neste final de semana da Cúpula da Ambição Climática 2020, que é preparatória para a próxima COP 26 (Conferência sobre Mudanças Climáticas de 2021), da ONU (Organização das Nações Unidas), que ocorrerá no Reino Unido em 2021. O encontro virtual contará com a presença de cerca de 80 países e a União Europeia.

O governo brasileiro ainda trabalha para reverter a situação a fim de conseguir ter direito a voz no encontro. Para isso, designou vários interlocutores para fazer “gestões” com os promotores do evento e tentar garantir participação na reunião. O Planalto e o Itamaraty ainda acreditam que conseguirão contornar a situação e incluir o Brasil no evento que faz parte dos cinco anos do Acordo de Paris.

Um interlocutor do governo, que preferiu não se identificar, disse que “o jogo ainda está em andamento” e que é preciso esperar um pouco mais para que a questão seja resolvida. Ele afirmou ainda que esta lista de participantes divulgada hoje é preliminar e pode ser ampliada.

Nas conversas para reverter a decisão, o Brasil vai tentar mostrar ainda as ações que estão sendo desenvolvidas na área ambiental e pleitear seu direito a “assento” nesta reunião. O governo, no entanto, quer evitar entrar em discussões políticas e tenta agir diplomaticamente para incluir o País no encontro.

As informações chegadas ao Brasil são de que o País não foi incluído porque os organizadores do encontro não consideraram suficientes as metas de emissões de gases de efeito estufa divulgadas esta semana pelo Ministério do Meio Ambiente.

O Brasil se comprometeu com emissões líquidas zero de gases de efeito estufa até 2060, como contribuição do País ao esforço mundial para o combate ao aquecimento global. Com a nova meta, o Brasil vai chegue a 2030 emitindo 400 milhões de toneladas de gases do efeito estufa a mais do que estava previsto anteriormente.

Deixe comentário

× Fale com a Showtime