Governo Felicio vê ‘equívocos’ em laudo pericial sobre o Arco da Inovação

O governo Felicio Ramuth (PSDB) apontou à Justiça uma série de supostos “equívocos” no laudo pericial que avaliou a capacidade funcional do Arco da Inovação.

A perícia contestada, que foi feita pelo Departamento da Área de Engenharia Ambiental e Urbana da UFABC (Universidade Federal do ABC), apontou que a obra “perderá a qualidade de suas funções já a partir de 2025” (ou seja, em pouco mais de quatro anos já não será capaz de desafogar o trânsito no local), e que a ponte estaiada, que custou R$ 60,972 milhões, tem capacidade de absorver apenas 12% a mais de veículos do que um cenário em que fosse realizada apenas otimização semafórica. O laudo também apontou que, além de não propiciar ganhos ao transporte público, o Arco ainda deve aumentar o tempo das viagens de ônibus em 23% até 2028.

Em manifestação encaminhada à Justiça, o governo Felicio alegou que “diversos apontamentos realizados ao longo do laudo apresentam certos equívocos e não condizem com a realidade do complexo viário”.

À Justiça, a gestão tucana alegou que a saturação foi apontada em apenas uma via (a Avenida Dr. Eduardo Cury), e que os dados utilizados na simulação não seriam corretos. Para embasar a argumentação, o governo Felicio anexou fotos que mostrariam que uma afirmação da perícia (de que já em 2020 um veículo demoraria mais de 80 segundos para cruzar o Arco por essa avenida) seria incorreta. As fotos, no entanto, foram feitas em 7 de julho, data em que a cidade ainda estava na fase laranja do Plano SP, com diversas restrições ao funcionamento de atividades comerciais devido à pandemia do coronavírus – e também sem aulas nas escolas, como segue até hoje.

A gestão tucana também solicitou que o “laudo seja complementado” ou “refeito com dados reais”. Para isso, pediu que a simulação seja refeita com dados coletados pela Prefeitura no dia 14 de julho – novamente em um período em que a cidade estava na fase laranja do Plano SP.

O governo Felicio argumentou ainda que o laudo pericial não considerou equipamentos de otimização semafórica e faixas adicionais implantadas, e que o transporte público terá melhorias a partir de 2021, com a nova concessão e com o VLP (Veículo Leve sobre Pneus) da Linha Verde.

Justiça dá 15 dias para peritos da UFABC se manifestarem sobre apontamentos

Após os questionamentos feitos pelo governo Felicio, o juiz Silvio José Pinheiro dos Santos, da 1ª Vara da Fazenda Pública, deu prazo de 15 dias para a UFABC se manifestar.

A perícia foi feita no processo em que o Ministério Público e a Defensoria Pública contestam a eficácia do Arco da Inovação.

Protocolada em dezembro de 2018, a ação visava impedir a construção do Arco. Como a obra já foi concluída, o MP pede agora que o governo Felicio seja obrigado a realizar um projeto básico e executivo para prever um conjunto de intervenções para tentar evitar a saturação de tráfego em 2025 e o prejuízo ao fluxo do transporte coletivo.

Após a manifestação da UFABC, a Justiça deve ouvir novamente MP, Defensoria Pública e Prefeitura, e na sequência emitir uma decisão.

Deixe comentário

× Fale com a Showtime