Governo de São Paulo anunciou que capital poderá permitir a reabertura de bares, restaurantes e salões de beleza a partir da próxima segunda-feira

O governo de São Paulo anunciou que capital poderá permitir a reabertura de bares, restaurantes e salões de beleza a partir da próxima segunda-feira. Ocorre que o prefeito da cidade, Bruno Covas (PSDB), recebeu uma recomendação do comitê de saúde e vai esperar até sexta-feira da próxima para colocar em prática esta medida.

“O município vai acabar essa solicitação do centro de contingência. Durante a semana que entra, vai dialogar com setores que agora podem voltar a funcionar na fase 3, avançar. Se tudo der certo, assinar os protocolos para que possam aguardar os resultados na sexta-feira da semana que vem”.

A possibilidade existe porque São Paulo avançou para a fase 3 (amarela) do plano de reabertura da economia durante a pandemia de covid-19. Agora, bares e restaurantes ao ar livre, salões de beleza e barbearias podem reabrir com restrições.

A reabertura ainda depende da aprovação dos protocolos apresentados pelos setores à vigilância sanitária. Entidades representativas já entregaram suas propostas à comissão de saúde e fizeram uma reunião ontem.

Os estabelecimentos poderão funcionar durante seis horas seguidas e limitação de 40% da capacidade total de clientes.

O governador também anunciou uma nova quarentena no estado até o dia 14 de julho.

Shoppings e comércio também ampliam funcionamento
De acordo com a nova classificação, os shoppings e outros comércios que já estavam abertos desde o dia 11 de junho, mas com mais restrições, passam de quatro para seis horas de funcionamento e de 20% para 40% da capacidade.

O Plano São Paulo, criado pelo governo estadual, dividiu o estado em 22 regiões e leva em conta cinco índices para definir quais localidades podem avançar na flexibilização: números de casos de covid-19, internações, mortes, taxa de ocupação de UTI e a quantidade existente de leitos para cada 100 mil habitantes.

Queda no número de internações colabora para flexibilização na capital
O avanço de São Paulo para a próxima fase do programa de retomada da economia era esperado, e o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido disse ao longo da semana que os cinco critérios estavam contemplados. Ele declarou também que o número de casos na capital está estável desde 1º de junho.

Aparecido falou também que a reabertura de shoppings e do comércio de rua não causou um repique de covid-19. Este era um dos temores das autoridades municipais.

Reabertura na capital era esperada por Bruno Covas
O prefeito da capital, Bruno Covas (PSDB), já havia dito que esperava o avanço da capital para a terceira fase do plano. Na última quarta-feira, o político tucano disse que sabia a dificuldade que o setor de restaurantes passou durante a pandemia.

“Na sexta-feira, o governo deve apresentar uma nova reclassificação das regiões. A expectativa é de que a cidade entre na fase 3, amarela, o que permite a reabertura por seis horas por dia dos restaurantes. Claro que [eles] nunca deixaram de funcionar (…) Sabemos a dificuldade desse setor. A perspectiva é que eles voltem à atividade”, afirmou.

Deixe comentário

× Fale com a Showtime