Governador Rodrigo Garcia anuncia troca no comando das Polícias Civil e Militar de São Paulo

O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), anunciou a troca no comando das polícias. No Comando Geral da Polícia Militar assume o coronel Ronaldo Miguel Vieira, que estava à frente do Batalhão de Choque. O novo delegado-geral é Osvaldo Nico Gonçalves, que até então era responsável pelo Dope (Departamento de Operações Policiais Estratégicas).

Os novos comandantes vêm de tropas especiais e operacionais das polícias. Segundo o governador, na próxima semana ele deve dar início a uma série de medidas de combate à criminalidade com o novo comando das polícias nas operações.

“Agradeço o empenho, dedicação e exemplo do coronel Alencar, que liderou a PM nos últimos dois anos, e do delegado Ruy Ferraz, que comandou a Polícia Civil de São Paulo”, disse Rodrigo Garcia.

Currículo
Ronaldo Miguel Vieira, de 51 anos, ingressou na PM em 1989 e foi promovido a coronel em 2019. Esteve à frente dos comandos de Policiamento de Área Metropolitano-1, Casa Militar, Regimento de Polícia Montada 9 de Julho e de cinco batalhões. Chefiou a Divisão Operacional do Comando de Policiamento de Choque e atuou como comandante de Companhia Territorial e do Policiamento de Área.

O delegado Nico tem 65 anos e ocupava o cargo de diretor do Dope desde 2019. Ele ingressou na Polícia Civil em 1979, como investigador. Mas foi como delegado que se destacou.

Foi o fundador do primeiro GOE (Grupo de Operações Especiais). Chefiou ainda as equipes do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), do Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos), do GER (Grupo Especial de Resgate) e foi delegado na capital, responsável por grandes eventos, como a Copa do Mundo de 2014.

Procuradoria Geral do Estado
O governo mudou também o comando da Procuradoria Geral do Estado. Agora assume Inês dos Santos Coimbra. A instituição responsável pela representação judicial do governo permanece sob liderança feminina.

Primeira mulher negra a chegar ao comando da PGE, Inês é procuradora estadual de carreira há 18 anos e teve atuação destacada nas áreas de regularização fundiária e imobiliário, habitação popular, concessões e PPPs (Parcerias Público-Privadas).

Desde 2018, ela era chefe da assessoria jurídica do gabinete da PGE. Aos 44 anos, Inês é mestre em direito pela PUC-SP e professora do curso de especialização em direito administrativo da instituição.

Desde janeiro de 2019, o órgão era comandado por Maria Lia Pinto Porto Corona, que também foi chefe da procuradoria fiscal e subprocuradora geral da área tributária fiscal.

Deixe comentário

× Fale com a Showtime