Felicio já admite que obra da Linha Verde poderá ser entregue apenas em 2022

O prefeito de São José dos Campos, Felicio Ramuth (PSDB), admitiu pela primeira vez que a obra da etapa inicial do projeto da Linha Verde poderá ser entregue apenas em 2022.
A declaração foi dada pelo tucano após o jornal mostrar em abril e também esse mês que o cronograma está atrasado.
Nos primeiros 11 meses de trabalho, a obra avançou 15,97%. O número representa o que foi feito entre os dias 30 de abril de 2020 e 29 de março de 2021. Os serviços executados somaram R$ 8,915 milhões, segundo a última medição do Consórcio Projeto Linha Verde, formado pelas empresas Compec Galasso e Geosonda. De acordo com o cronograma estabelecido no contrato, a obra deveria ter atingido 45,85% (R$ 25,599 milhões) no período.
Pelo contrato, a entrega da obra deveria ocorrer no dia 21 de outubro desse ano. “Com as últimas chuvas que aconteceram ao longo do período de verão, a gente já tem alguma expectativa de algum atraso, mas dezembro, mais tardar janeiro [de 2022], a gente acredita que a obra será entregue. É uma obra que traz pouca interferência, então ela facilita a sua execução, porque interfere pouco no dia a dia da cidade”, disse Felicio.

LINHA VERDE
Essa primeira fase da obra tem início na Estrada do Imperador (região sul) e segue até o Terminal Intermunicipal (região central). O custo é de R$ 55,832 milhões, sendo R$ 30 milhões de aporte do governo estadual. Na segunda fase das obras, que ainda não foi licitada, será criado o Anel Viário Leste, uma nova via que permitirá a interligação de toda a cidade ao Parque Tecnológico, sem a necessidade de uso da Via Dutra.
Somados todos os contratos, o custo da primeira fase da Linha Verde já chegou a R$ 161,69 milhões. Além da obra, R$ 60,9 milhões devem ser gastos com a desapropriação de áreas pertencentes à CTEEP (Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista), que somam cerca de 400 mil metros quadrados. Os 12 VLPs (Veículos Leves sobre Pneus), encomendados à BYD do Brasil, custarão R$ 34,732 milhões, e serão pagos mais R$ 4,36 milhões à Nansen Instrumentos de Precisão pelos equipamentos que serão usados para recarregar as baterias dos veículos. Além disso, a Urbam (Urbanizadora Municipal), estatal controlada pela Prefeitura, receberá R$ 5,867 milhões para fazer a supervisão da obra e também a supervisão ambiental do projeto Linha Verde.

Deixe comentário

× Fale com a Showtime