Europa se transformou em novo epicentro da pandemia, diz OMS

Num esforço para conter a pandemia, a OMS anuncia a criação de um fundo para ajudar governos pelo mundo. A estimativa da entidade é de que serão necessários mais de US$ 7,5 bilhões até o final do ano para lidar com o surto.

O fundo espera atrair recursos de doadores privados e de governos, principalmente para ajudar sistemas de saúde debilitados, a compra de equipamentos, treinamentos e até o desenvolvimento de vacinas e tratamentos.

No início do ano, a OMS havia feito um apelo de emergência por cerca de US$ 700 milhões. Mas o valor cobriria apenas o período até abril deste ano.

Com 123 países afetados, milhões de pessoas em quarentena, 5 mil mortos e mais de 132 mil casos, a OMS estima que o momento é de mobilização.

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da entidade, apontou nesta sexta-feira que a Europa superou a China como o novo epicentro da doença no mundo. Sozinha, a região já registra mais casos que o resto do mundo, juntos – com exceção do caso acumulado na China.

Segundo ele, a Europa hoje registra mais casos por dia que a China no auge de sua epidemia.

Deixe comentário

× Fale com a Showtime