Com casos em alta, S. José inicia nova ofensiva para ampliar flexibilização

O prefeito de São José dos Campos, Felicio Ramuth (PSDB), vai propor nesta segunda-feira, ao governo do Estado, uma avaliação semanal da flexibilização da quarentena na RMVale por conta do novo coronavírus. Atualmente, a cidade está na fase laranja (fase 2) e a intenção é conseguir mudar para a fase amarela fase 3), onde mais comércios, como bares e restaurantes, poderiam abrir.

Na última sexta-feira, o governador João Doria (PSDB) anunciou o prolongamento da quarentena até o dia 30 de julho e o Vale do Paraíba foi mantido na fase laranja, dentro do Plano São Paulo de flexibilização.

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura de São José na última sexta-feira, os casos chegaram a 4.061, com 63 pessoas internadas, sendo 35 na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e 28 na enfermaria. Há ainda 1.227 pessoas em recuperação e 2.652 que já se recuperaram.

Os casos suspeitos somam 3.423, com 113 pessoas internadas — 38 na UTI e 75 na enfermaria. Outras 3.286 pessoas aguardam o resultado do exame em casa. Investiga-se ainda 24 mortes suspeitas.

Na noite sexta-feira, Felicio já havia gravado um vídeo falando sobre o pedido de flexibilização. “Vou propor ao governo do Estado que cidades e regiões como a nossa, que estão mais de seis semanas estáveis em uma fase, possam ter suas avaliações semanais para progredir de fase. Tudo indica pelos dados que teremos essa progressão ao longo dessa semana, e que na sexta que vem nosso resultado for de fase amarela, que a gente já possa então oferecer para nossos comerciantes essa oportunidade de reabertura. Esse vai ser um pleito meu ao governador”, destacou o prefeito na sexta-feira.

“Esse vai ser um pleito meu ao governador. Entre as cidades com mais de 400 mil habitantes, São José é a cidade com o menor número de óbito. São 118. A gente lamenta cada vida perdida, cada família que perdeu o seu ente querido, mas se for comparar com Santos, eles têm seis vezes mais óbitos por 100 mil habitantes. Ou seja, se tivéssemos o mesmo índice, teríamos 700 óbitos por Covid. Mas Santos está na fase amarela e nós seguimos na fase laranja, o que demonstram que existem falhas que podem e devem ser corrigidas na evolução das fase do Plano São Paulo. Vou levar todas essas informações o governador João Doria, para que possam fazer uma avaliação por semana e não a cada 14 dias”, disse.

É um novo capítulo na relação, por vezes conflituosa, entre o Paço e o Palácio dos Bandeirantes durante a pandemia. Em abril, o prefeito publicou um decreto que antecipava a reabertura do comércio, contrariando orientação do governo Doria. A medida, porém, acabou barrada pela Justiça.

Em junho, o governador chegou a citar Felicio em uma coletiva. Semanas atrás nós tivemos o próprio prefeito de São José dos Campos entrando inclusive com medidas judiciais, que não foram atendidas, para liberar o comércio. “Hoje o mesmo prefeito compreende acertadamente que é hora de restringir comércio e preservar vidas. Tudo que orientamos no Plano SP desde o início foi feito com base na saúde, no planejamento e com visão de curto e médio prazo”, disse Doria na oportunidade, afirmando que não estava “fazendo nenhuma crítica” ao prefeito joseense.

Em nota, a ACI (Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos) informou que “apóia todos os esforços feitos, de forma consciente, para flexibilização das regras de quarentena em benefício das empresas ligadas ao comércio, indústria e setor de serviços. Sempre seguindo cuidados rígidos de segurança sanitária, de forma a preservar vidas, empregos e empresas”.

Deixe comentário

× Fale com a Showtime