Ciclone se forma no Sul e deve provocar fortes chuvas, granizo e ventos de até 100 km/h

Um novo ciclone extratropical se formou nesta segunda-feira (4) no Sul do Brasil e deve provocar muita chuva, fortes rajadas de vento e até queda de granizo nos estados da região, segundo a Climatempo.

A formação do sistema, ao longo do dia, provocará uma frente fria que deve chegar à costa do Sudeste durante a noite. A instabilidade, a entrada da umidade e a circulação dos ventos também devem provocar chuva no Mato Grosso do Sul.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) do Ministério da Agricultura e Pecuária emitiu alguns alertas para o Sul em função da formação desse novo ciclone.

Perigo de tempestade
Toda a área do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, além da porção sul do Paraná, está sob aviso de perigo de tempestade. A previsão é de chuva de até 100 mm. O órgão alerta para risco de corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de árvores e de alagamentos.

Grande perigo de acumulado de chuva
O alerta se intensifica na região central do Rio Grande do Sul, região que deve receber mais chuva nesta segunda-feira. Há grande risco de grandes alagamentos e transbordamentos de rios, grandes deslizamentos de encostas.

Perigo potencial de tempestade
Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul também estão sob aviso de tempestade, mas devem sofrer os efeitos da frente fria provocada pelo ciclone somente no fim do dia. A previsão é de até 50 mm de chuva e ventos de no máximo 60 km/h nessas áreas.

O que fazer durante as tempestades?
O Inmet orienta que a população procure a Defesa Civil de sua região em caso de alguma emergência e dá algumas dicas sobre como lidar com as tempestades que devem atingir o Sul do Brasil nesta segunda-feira. Veja:

– Desligue aparelhos elétricos, quadro geral de energia.
– Observe alteração nas encostas.
– Permaneça em local abrigado.
– Em caso de situação de inundação, ou similar, proteja seus pertences da água envoltos em sacos plásticos.
– Em caso de rajadas de vento: não se abrigue debaixo de árvores, pois há risco de queda e descargas elétricas e não estacione veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda.
Obtenha mais informações junto à Defesa Civil (telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (telefone 193).
Ciclones estão mais frequentes?
A frequência de formação dos ciclones extratropicais não está acima do normal, conforme explicou a meteorologia Maria Clara Sassaki em entrevista à CNN. Segundo a especialistas, o que mudou foi a intensidade dos sistemas.

“As águas dos oceanos estão mais quentes do que o normal e isso aumenta a intensidade dos ciclones extratropicais, por isso a gente tem chamado a atenção para esses sistemas que vem com rajadas de vento acima do normal, tempestades muito próximas umas das outras. A água mais quente serve de combustível para que essas áreas de baixa pressão ganhem intensidade”, explicou.

Deixe comentário

× Fale com a Showtime