Casos da Covid no RMVale crescem 84% e mortes 71% em agosto, mas mês termina com menor velocidade de contágio

O mês de agosto termina com aumento de 84% na quantidade de casos confirmados do Covid-19 no Vale do Paraíba, na comparação com o final de julho. As mortes em decorrência da doença subiram 71% na mesma comparação.

A região alcançou 33.774 diagnósticos positivos de Covid-19 nesta segunda-feira (31) contra 18.306 em 31 de julho. No mesmo intervalo, as mortes passaram de 582 para 1.000.

O mês de agosto registrou quase a metade do total de casos da região de toda a pandemia, com 15.448 novos infectados, 45,7% do total da região.

Representa ainda um aumento de 37% frente aos 11.227 novos casos confirmados em julho.

Juntos, agosto e julho foram responsáveis por 79% dos casos (26.675) e 75% das mortes (752) de toda a pandemia, com crescimento exponencial da doença após a reabertura comercial, em junho, e consequente queda no isolamento social e nos cuidados sanitários.

VELOCIDADE

Se esses números sinalizam a parte meio vazia do copo, há outros que apontam para a metade cheia. As duas últimas semanas de agosto sinalizam uma redução na velocidade de contágio da Covid-19 na região.

Na semana encerrada nesta segunda-feira (31), o Vale acumula 3.209 novos casos da doença, 10% a menos do que na semana anterior, que teve 3.562. É a terceira semana consecutiva de queda na quantidade de novos casos em sete dias, levando em conta o período entre segundas-feiras.

Na mesma comparação, as mortes caíram 10,4%, com 77 óbitos na última semana contra 86, no período anterior. É a segunda semana seguida com queda nas novas mortes.

SUB-REGIÕES

Embora os números comecem a revelar uma tendência de queda no crescimento da epidemia, mas que ainda exige cautela, o vírus tem um comportamento diferente dependendo da sub-região do Vale.

Comparando os números desta segunda (31) com o mesmo dia da semana passada (24), percebe-se crescimento em todas as sub-regiões, com percentuais maiores na de Guaratinguetá (16,7%), Taubaté (10,8%) e Cruzeiro (9%), que concentram a maior parte dos médios e pequenos municípios da região.

Na sub-região de São José, os casos subiram 9% e na do Litoral Norte, aumentaram 8%.

Quanto às mortes, a maior alta percentual em uma semana deu-se na sub-região do Litoral Norte (10%) e depois a de Cruzeiro (9%), São José (9%), Guaratinguetá (8%) e Taubaté (4,7%).

 

Deixe comentário

× Fale com a Showtime