Alerj decide abrir processo de impeachment contra Witzel

A Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) decidiu nesta quarta-feira (10) pela abertura do processo de impeachment contra o governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), em sessão por videoconferência.

Dos 70 parlamentares, 69 votaram a favor pela instauração do procedimento na Casa. Não houve nenhuma manifestação contrária, apenas uma ausência.

O presidente da Alerj, André Ceciliano (PT), poderia ter tomado a decisão sozinho, mas abriu para consulta ao plenário.

O requerimento que será levado adiante foi apresentado pelos deputados Luiz Paulo e Lucinha, ambos do PSDB, e se baseiam nas denúncias relacionadas a desvios na saúde estadual. Outros seis requerimentos foram arquivados na mesma decisão.

Ao todo, haviam sido protocolados 14 pedidos de afastamento contra o governador do Rio, após ele ter sido alvo da operação Placebo.

“Estou triste porque o Rio de Janeiro registrou ontem praticamente sete mil mortes de covid-19, os hospitais de campanha custaram R$ 850 milhões em roubo e desperdício e só temos um deles até agora. Corrupção é crime e em meio a uma epidemia, é crime hediondo, contra a humanidade. Por isso, abri esse processo jurídico, sendo garantidos a ampla defesa e o direito do contraditório”, disse o deputado Luiz Paulo (PSDB).

Agora, o próximo passo é publicar a decisão em Diário Oficial em um prazo de 48 horas para que os partidos indiquem representantes para a Comissão Especial que vai analisar a denúncia. O prazo conta a partir de segunda-feira (15).

Em nota, o governador Wilson Witzel disse que recebe com “espírito democrático e resiliência a notícia do início da tramitação do processo de impeachment pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.”

Deixe comentário

× Fale com a Showtime