Semana será decisiva para evitar ‘boom’ de casos do novo vírus

A semana é decisiva para a contenção do novo coronavírus na RMVale, uma das regiões do interior do estado com mais casos confirmados.

É uma espécie de ‘Dia D’.

As ações tomadas nos municípios e no estado, que decretou quarentena a partir desta terça-feira (24), visam achatar a curva de crescimento da infecção. Quanto mais lenta for essa disseminação, menos sobrecarga trará ao SUS (Sistema Único de Saúde), responsável por atender 60% da população estadual.

Até esta segunda-feira (23), o Vale tinha dez casos confirmados de coronavírus, sendo que em cinco deles espera-se o resultado da contraprova do exame. São José dos Campos tinha sete casos confirmados (cinco aguardando exame final), com São Sebastião tendo dois positivos e Taubaté com um.

As cidades da região endureceram as medidas restritivas para evitar a disseminação do vírus, que é mais grave em pessoas do grupo de risco, principalmente maiores de 60 anos e pessoas com doenças crônicas, como diabetes, hipertensão e cardiopatias.

“Estamos numa guerra. O pior momento da história do país desde a Segunda Guerra Mundial. É uma guerra contra o vírus e os efeitos disso no país”, disse o governador João Doria (PSDB), que tem anunciado medidas cada vez mais restritivas para conter o avanço do coronavírus.

Segundo o infectologista David Uip, coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo, o grupo tem trabalhado com cenários sobre a disseminação do vírus no estado. Os prognósticos são revisados diariamente.

“Os profissionais estão prevendo as curvas e isso está sendo considerado. As medidas são subsidiadas pelos cenários previstos. Estamos vendo os países que estão na nossa frente na pandemia. Em cima dos dados e da realidade brasileira e estamos planejando.”

Segundo ele, o vírus tem se comportado no país da mesma forma que e países da Europa, apesar do clima tropical.

“Temos previsão de ter um pico entre abril e maio, mas atestamos os fatos no dia a dia. Estamos tentando baixar a curva, pela política de restrição das pessoas. Diminuir o número de infectados e achatar a curva de crescimento são metas fundamentais”, afirmou Uip, que, nesta segunda-feira, foi diagnosticado com a doença e ficará em isolamento..

Deixe comentário

× Fale com a Showtime