Governo do Rio anuncia plano de retomada gradual entre junho e agosto

Apesar de o Rio de Janeiro ter chegado a mais de 3.000 mortes nesta quarta-feira (20), o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Lucas Tristão, apresentou hoje um plano do governo que prevê a retomada gradual da atividade econômica de junho até agosto em meio à pandemia do novo coronavírus.

Chamado de “pacto social pela saúde e economia” para “frisar a participação ativa da sociedade”, o plano tem gatilhos para flexibilizar o retorno das atividades não-essenciais. “É necessário tomar novas medidas devido à crise que não para. Muda o conteúdo, mas é contínua. Temos que criar isso para planejar nossos próximos passos. Não há um mercado consumidor se abrindo ao mesmo tempo que os outros mercados. É uma crise em ondas. Esse plano é uma resposta às novidades”, afirmou Tristão.

O plano contém “gatilhos” para balizar as decisões em três fases de retorno, a depender da evolução da curva de casos e da abertura de leitos de UTI. Seis hospitais de campanha do Rio estão atrasados e, com a suspeita de fraude encontrada pela Operação Lava-Jato na compra de respiradores, a infraestrutura tende a demorar ainda mais para ser entregue.

“Temos que nos preparar para evitar os danos da segunda onda da recessão econômica. Foi feito em conjunto com a Secretaria de Saúde, pois o que vai determinar o andamento do plano é a recomendação dada por eles. Os protocolos serão todos orientados pelos técnicos da secretaria de saúde”, completou Tristão.

Os gatilhos ativam três bandeiras: vermelha, amarela e verde, cada uma com condições e medidas preestabelecidas. Antes disso, porém, o governador Wilson Witzel (PSC) manteve restrições por decreto até o dia 31 de maio.

Bandeira vermelha (restrição)
Taxa de ocupação dos leitos de UTI acima de 90%

Medidas:

– Uso obrigatório de máscaras

– Circulação de pessoas e veículos apenas quando necessário

– Locais públicos de lazer e turismo não devem ser utilizados

– Restaurantes apenas com 30% de capacidade e 2 m entre mesas

– Transporte público intermunicipal entre região metropolitana, capital e interior apenas para atividades essenciais

– Aulas, eventos, academias e shoppings suspensos

Bandeira amarela (flexibilização)
Taxa de ocupação dos leitos de UTI entre 70% e 90% e curva de crescimento de novos casos caindo na média semanal

Medidas:

– Uso obrigatório de máscaras

– Circulação de pessoas e veículos devem ser evitadas

– Locais públicos de lazer e turismo não devem ser utilizados

– Restaurantes com 50% da capacidade e 2 m entre mesas

– Aulas, eventos, feiras, shows e comércio ambulante suspensos

– Retomada de shoppings, atividades desportivas e academias com restrições de espaço e protocolos de higiene

– Transporte público intermunicipal sem restrições

Bandeira verde (“novo normal”)
Taxa de ocupação dos leitos de UTI abaixo de 70% e curva de crescimento de novos casos caindo na média semanal

Medidas:

– Uso obrigatório de máscaras

– Circulação de pessoas e veículos devem ser evitadas

– Restaurantes sem limitações, mantidas boas práticas de higiene

– Aulas e todos os setores da economia podem retomar atividades respeitando protocolos de higiene e reorganização dos espaços de trabalho

– Transporte público internacional e interestadual sem restrições obedecendo protocolos de higiene

Deixe comentário

× Fale com a Showtime